Pré-Diabéticos Vivendo no Limite

Pré-Diabéticos Vivendo no Limite
Avalie esta postagem

Pré-Diabéticos Vivendo no Limite. Os pré-diabéticos podem escapar da doença, mas não devem se descuidar.
O indivíduo é diagnosticado como pré-diabéticos, quando se apresenta com valor de glicose no sangue alterados. Porém não suficientemente altos para caracterizar o diabetes.

 
É um estado em que já se constata um aumento significativo na secreção de insulina pelo pâncreas. Sugerindo que haja uma maior necessidade desse hormônio para se obter efeitos menor, já que a glicose, mesmo assim.
Não está normal, é bom lembrar que o pré-diabetes só acontece quando se falta no tipo 2 da doença. Provocado, essencialmente, por má alimentação e sedentarismo. O tipo 1 é motivado por um fator autoimune natural do organismo.

 

 

Pré-Diabéticos Constata o Estado de Pré- diabetes

Constata o estado de pré-diabetes é muito importante por dois motivos. Primeiro, evitar que o próprio diabetes se instale. As chances de progressão variam de acordo com as populações estudadas, mas em torno. De cinco em cada 100 Pré-diabéticos, tornam se diabéticos com o passar de um ano. O fator que mais influência nessa progressão é a presença de obesidade. Portanto, se você faz parte do grupo de risco, apresenta outros casos de diabetes tipo 2 na família. Ou está acima do peso, por exemplo, não custa nada se antecipar a doença e fazer um exame de glicemia de jejum.

 

 

Prevenção Constante

O segundo motivo para ficar especialmente alerta. Quanto ao pré-diabetes é que as complicações típicas do próprio diabetes já estão presentes, ainda que de forma silenciosa. No pré-diabéticos, já é considerável o risco de placas de gordura formadas pelo excesso de glicose. Se depositarem na parede das artérias, o que acarreta em problemas de circulação, que levam a enfermidades. Graves como infartos e acidentes vasculares cerebrais AVCS. A perda na qualidade da visão pode ser uma das consequências da retinopatia diabética, assim como a nefropatia diabética. Afeta negativamente os rins. Sendo assim, a glicemia de jejum não deve ser o único exame a ser levado em conta, de forma geral.

 

 

Demais Fatores de Risco

É importante avaliar os demais fatores de risco para os órgãos alvo. Do diabetes e da obesidade, os exames incluem um perfil glicêmico para ver se houve progressão. Do quadro de diabetes. Perfil lípídico, para ver como está este outro importante fator de risco cardiocirculatório, que é o colesterol. Perfil hepático, para ver se há lesão do fígado, o que é hoje uma importante causa de cirrose hepática. E aferição da pressão arterial se houver hipertensão associada. A frequência de cada um desses exames deve individualizada pelo médico.

 

 

Revertendo a Situação

Quando o pré-diabetes é detectado. São necessárias mudanças de hábitos o quanto antes.
Uma dieta equilibrada com distribuição adequada de carboidratos, proteínas e gorduras, fracionada durante o dia. E atividade física regular é fundamental para o controle e muitas vezes normalização desse estado.
Quando a pessoa é obesa, emagrecimento é fundamental. Em alguns casos, se forem verificados danos ao organismo, o médico avaliará o paciente para indicar medicamentos. Como o liraglutida. Vale ressaltar que, muitas vezes, pode-se recorrer a um tratamento medicamentoso para combater a obesidade. Ainda que não seja visado ou tratamento do pré-diabete.

 

 

Combater as Consequências

A intenção é combater as consequências. Nocivas que a gordura em excesso pode trazer aos demais sistemas do organismo. Portanto, além dos medicamentos para controle da glicemia e insulina, também podem ser indicados. Os que promovem a perda de peso.

 

Para. Diagnosticar

Um exame que pode ser feito. Para confirma o pré-diabetes é o de intolerância à glicose. Ele consiste na coleta de sangue duas horas após a ingestão de um copo de água com glicose diluída. Pacientes com um nível de glicemia em jejum abaixo de 100mg/de, mas com a intolerância à glicose. Entre 140mg/dl a 188mg/dl, são considerados pré-diabéticos. Intolerância à glicose. Menor que 140mg/dl – normal. Entre 140mg/dl e 199mg/dl – intolerância. A parti de 200mg/dl – diabetes.

"E-Book" Receitas Que Levam o Abacate Como Um Importante Aliado Dos Diabético!

Emerson Fittpaldi

Olá eu me chamo Emerson sou criador do blog. Diabetes Mellitus e Alimentos. E criei esse Blog pra fala sobre. Tipos de Diabetes, Sintomas, Tratamentos, Complicações, é Alimentos que previne a doença.

Website: https://www.diabetesmellitusealimentos.com.br/

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *